Caixa Botânica: Benefícios do Urucum

Caixa Botânica: Benefícios do Urucum

O  urucum, com nome científico Bixa orellana L., é originário da  América tropical, incluindo a Amazônia brasileira, e é cultivada com finalidade doméstica ou industrial. As árvores são de porte médio, com 3-5 metros de altura:

bixa orellana l. urucum árvore

Na primeira expedição ao Brasil, em 1500, em carta encaminhada a Coroa Portuguesa, já eram feitas referências a pintura feita com urucum pelos indígenas da costa da Bahia, indicando o fato que já era cultivada nessa época.

Desde seus tempos mais remotos os indígenas no Brasil usam o pigmento do urucum para pintar a pele, supostamente como ornamento, ou como proteção contra  insetos e queimaduras por exposição ao sol.

urucum indios

A cor do urucum se dá devido ao alto índice de bixina. Bixinas são ricas em carotenoides que também são encontrados em cenouras. O urucum possui entre 70% a 80% de bixina em sua composição. Uma curiosidade interessante é que quanto mais brilhante a mistura, mais contém bixina.

Também usado amplamente como corante de alimentos, principalmente na comida nordestina: o colorau.

colorau urucum

Devido ao alto índice de fibras presentes na semente e nas suas folhas, há excelentes benefícios do urucum para a digestão, promovendo uma melhor absorção dos nutrientes no organismo. As fibras também ajudam a diminuir o colesterol e controlar a diabetes, que pode ajudar também a equilibrar os níveis de insulina e glicose no sangue.

Nesse mês de abril homenageamos essa planta. Fiz vários estudos até chegar ao batom na cor que queria. Em 2016 fiz um curso de  plantas medicinais e ganhei uma muda, de aproximadamente 30 centímetro. Coloquei ela num vaso grande e hoje ela já me fornece frutos.

Dica da Chá Dao: Se vocês colherem as sementes na árvore deixem elas secarem por uma semana, numa folha de jornal, sem a luz direta do sol. Várias vezes eu coloquei elas direto num pote fechado e depois de algumas semanas elas mofaram.

Para fazer o batom eu colhi as sementes e por longos meses deixei elas imersas no óleo de coco. Agitando cerca de uma vez por semana. A cor vai ficando cada vez mais vermelha e intensa. Linda.

Na carta botânica você consegue ter uma leitura resumida da planta. Aqui eu falo por completo dela.

Referidas na literatura etno farmacológica, as sementes são excelentes para tratamentos de crises de  asma e gripe, além de tonificarem o aparelho gastrointestinal. A massa semi sólida - empregada na medicina popular, obtida  das sementes usadas evita a formação de bolhas e para o tratamento de queimaduras. Internamente tem efeito afrodisíaco.

O decocto - cozimento das folhas é bebido para atenuar enjoos da gravidez. Vale lembrar que estas propriedades ainda não  foram comprovadas cientificamente. (Bom, mas estão aí os índios utilizando a mais de 500 anos).

Esperamos que vocês gostem da caixa desse mês.


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos