Crenoterapia: o uso terapêutico da água para a saúde e o cenário brasileiro

Crenoterapia (ou termalismo) são práticas pouco exploradas que atuam na manutenção e recuperação da saúde através da água. O uso terapêutico da água para a saúde pode receber diversos nomes que variam de acordo com o tipo de água, a temperatura utilizada, a composição química, o modo de utilização e, às vezes, da categoria profissional que utiliza a água.

Conheça alguns tratamentos com água para benefício da saúde:
  • Talassoterapia:

O que é a Talassoterapia - Thalasso Nazaré Portugal

Tratamento terapêutico baseado na utilização, no corpo humano, das propriedades da água do mar, das algas (micro fragmentadas), das lamas e outros elementos marinhos, os quais ajudam nos processos de desintoxicação da pele além de relaxar e aumentar a imunidade.

  • Balnoterapia

Balneoterapia - Bormio Terme

É uma forma de tratamento de doenças por meio de banhos. De origem antiga, Hipócrates, Platão, Galeno e Celso, já se referiam ao banho para fins terapêuticos. Ela é um excelente recurso técnico, como tratamento de pacientes queimados, por ocasião da troca de curativos, ou limpeza da área cruenta para enxertia.

 

  • Crioterapia

Neymar faz tratamento terapêutico com temperatura -150º C - Quem | QUEM News

O termo significa, literalmente, “terapia pelo frio”. Portanto, qualquer tipo de uso do gelo ou de aplicações do frio com objetivos terapêuticos é uma crioterapia. 
Na foto o jogador de futebol Neymar fazendo tratamento com água a -150 graus. O processo é realizado com aplicações de gelo, neve carbônica e outros veículos de frio intenso e é indicado para tratar dores corporais, acelerar a recuperação física, além de auxiliar no emagrecer e retardar o envelhecimento.

Breve histórico do termalismo e crenoterapia no Brasil:

A existência de águas termais foi relatada por colonizadores que exploravam o Brasil Colônia. No país, a primeira fonte de água termal foi encontrada pelos portugueses no ano de 1722, descrita por Bartolomeu Bueno da Silva, quando explorava o ouro e a prata em Goiás. Importantes fontes hidro minerais brasileiras foram descobertas ainda no século 18. 

Há 200 anos, no dia 18 de março, ocorreu a assinatura do decreto real para a construção do 1° hospital termal do Brasil, mas especificamente em Santo Amaro da Imperatriz, aos moldes do hospital termal de Caldas da Rainha em Portugal. Hoje, o local, se tornou um hotel e recebe centenas de pessoas por ano, não só para hospedagem, mas principalmente para usufruir dos benefícios das águas termais de Caldas da Imperatriz. 

Em 1877 é instalado na cidade de Petrópolis o Imperial Estabelecimento Hidroterápico para realizar tratamentos, especialmente, à família imperial, tendo Dom Pedro 2 como frequentador assíduo. 

Trecho da av. Piabanha acima.

A intensificação do surgimento das estâncias hidrominerais no Brasil se deu no século XX, quando Brasil já era uma república, e tinha planos urbanísticos das cidades criadas a partir da exploração das fontes termais. Várias cidades nos estados de Goiás,  Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais foram criadas nessa época.

 

História - Cambuquira - Idas Brasil - Minas Gerais

Foto do Parque das Águas e Balneário de Cambuquira - 1920.  Numa época de poucos remédios a esperança de cura nas águas mediciais crescia.

Circuito das Águas MG: turismo onde as águas são terapêuticas e possuem  diferentes gostos

Foto do Parque das Águas e Balneário de Caxambu. O apogueu aconteceu nos anos 30 e 40, muito associado aos famosos cassinos.

 

As estações termais eram glamurosas e apresentavam referências arquitetônicas das estações europeias como Vichy, na França. Eram frequentadas pela aristocracia da época, especialmente por políticos, fazendeiros e comerciantes. 

A proibição do jogo anos depois, os investimentos imobiliários na orla marinha deixaram as águas termais em detrimento da água do mar, e o desenvolvimento da indústria farmacêutica que, com os corticoides e os antibióticos, induziu a substituição dos recursos naturais (neste caso a água) pelo uso de drogas com efeitos. mais rápidos e potentes. 

Águas termomedicinais: Termalismo x crenoterapia

O termalismo social refere-se ao uso de águas minerais termais para o tratamento e promoção da saúde em um âmbito mais complexo, que visa o uso sustentável do recurso hídrico, desenvolvimento sustentável e o acesso às Práticas Integrativas e Complementares -PIC. Já crenoterapia, é o uso de águas minerais no cuidado à saúde.

Em 2006, o Ministério da Saúde, seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde, instituiu a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares – PNPIC no âmbito do Sistema Único de Saúde. Na qual tem como um de seus pilares o termalismo social/crenoterapia. Entretanto, essas práticas integrativas e complementares (PIC) encontra-se na PNPIC somente como um observatório. No qual se estimula realizar pesquisas e estudos acerca da temática e reunir evidências clínicas sobre o uso da água termal para tratamentos em saúde no âmbito do SUS. Objetiva também apoiar os espaços institucionais de articulação entre os diversos atores envolvidos na construção e implementação do termalismo social/ crenoterapia no sistema público de saúde.

Desafios do Termalismo e Crenoterapia do Brasil

O termalismo social/ crenoterapia como práticas de promoção da saúde pode contribuir com a resolubilidade do SUS e a ampliação do acesso equitativo às práticas termais em saúde com qualidade, eficácia, eficiência e uso multiprofissional seguro, bem como promover a saúde e o desenvolvimento sustentável. Porém mesmo com todos esses benefícios talvez o maior desafio brasileiro vem da baixa qualificação de profissionais de saúde, com sequelas já de poucas pessoas interessadas em praticar e pesquisar os benefícios e as potencialidades do termalismo em saúde. Há pouca inserção dessa temática em grades curriculares dos cursos de saúde e não há cursos regulares de especialização sobre o tema.  

Balneário Hidroterápico - Parque das Águas - Caxambu - MG

Balneário Hidroterápico - Parque das Águas - Caxambu - MG
No panorama internacional se nota que ao longo das últimas décadas que o número de institutos científicos de Balneologia, especialmente nas universidades, sofreu diminuição.  Em contrapartida, na França, Itália, Hungria e Turquia, as pesquisas científicas relativas aos resultados clínicos de
tratamentos balneológicos vêm se expandindo.
Que tal uma festinha no Termas de Széchenyi, em Budapeste?
20 lugares que ver en Hungría | ViajeroCasual©
Balneários na Hungria
No Brasil, por serem as águas termais recursos subterrâneos, o Estado é detentor de tais águas, e portanto deveria garantir meios sustentáveis do uso desse recurso natural para balneários públicos, ou como cotas dos balneários privados, de modo a garantir os tratamentos termais. Boa parte das cidades termais possuem apenas modelos privados, de modo a garantir os tratamentos com escasso acesso público.
Águas termais privadas - Chapada dos Veadeiros - GO
Além disso, certas estâncias hidro minerais brasileiras ficam vulneráveis diante da fraca legislação de proteção ambiental das áreas e da expansão do mercado de águas minerais engarrafadas.
Você já teve a oportunidade de conhecer alguma? Conta pra gente nos comentários!

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados