Crudismo, o "raw food" nessa quarta-feira na Drogaria Aberta

Crudismo, o "raw food" nessa quarta-feira na Drogaria Aberta

Já ouviu falar em alimento vivo? E crudivorismo? Muitos vão imaginar que é uma  dieta crua e sem origem de animais, porém seu mundo é bem mais interessante e trás para nós contextos históricos curiosos.

raw food

A alimentação crua tem uma filosofia simples e bela, que aprendi estudando Biochip, na PUC-Rio, com a mestre Ana Branco: " é tudo aquilo que nós conseguimos pegar com nossas mãos" , ou seja, qualquer alimento que foi aquecido acima de 45º - 50º Celsius está fora desse banquete.

ana branco

Na foto acima a prof.: Ana Branco na oficina de Desenho Vivo, com alunos da rede pública de ensino. Recomendo fortemente uma visita pela PUC-Rio, as quintas-feiras a tarde para conhecer seu trabalho de extrema importante para a construção de uma nova geração.

Quando esquentamos a comida acima dessa  temperatura, destruímos as enzimas dos alimentos que ajudariam na nossa digestão.  Porém, quando cozinhamos e mastigamos bem os alimentos, conseguimos quebrar melhor a parede celular dos vegetais e assim assimilar melhor os nutrientes. A premissa básica da teoria da comida crua é que nós, seres humanos, somos a única espécie que cozinha o próprio alimento, e no seu estado natural, o alimento é composto por células vivas. Então, os adeptos do crudivorismo enxergam os alimentos cozidos ou aquecidos como mortos e sem vida.

A alimentação crua, mais conhecida por “RAW food” é composta por frutas e frutos secos, verduras, raízes, sementes ou grãos germinados, entre outros alimentos.

crudivorismo

na foto acima grãos de feijão germinados

Para os crudívoros, os alimentos vivos são a chave para a saúde e a nutrição, e o processo de germinação dos grãos é um método de fornecer vida ao alimento, melhorar sua digestão e também aumentar o seu valor nutricional e fazer com que seus nutrientes sejam melhor absorvidos.

Além da germinação, os crudívoros têm outro jeito um tanto excêntrico de preparar os alimentos: a fermentação. Isso mesmo! Esse é o modo que eles encontraram de "cozinhar" os alimentos sem levá-los ao fogo, preservando e até aumentando suas propriedades nutricionais.

Exemplos de alimentos fermentados são o chucrute, tradicional iguaria Alemã, e o picles, que geralmente é preparado com pepino, cenoura e nabo, mas pode incluir diversos vegetais. Esses alimentos são probióticos, ou seja, cheios de bactérias do bem que aumentam a imunidade e aprimoram a flora intestinal. E ainda são democráticos: você pode incluí-los em sua rotina mesmo não sendo vegana. Lembram da nossa postagem sobre Kombuchá

vivaz alimento lindo

Umas das incríveis tortas do Vivaz

Atualmente também existem diversas receitas RAW para variar o cardápio e deixar a dieta crúdivora mais fácil de ser seguida. Além disso, caso você more no Rio de Janeiro e gosta de feiras visite a Junta Local e procure a barraca do Vivaz, alimento Lindo. O chef que produz as deliciosas tortas e pratos é pura simpatia e transborda conhecimento.

Na foto a dupla mestre em alimentação viva: Claudio e Jonas

É com muito prazer que convidamos Jonas Dés a participar da sétima edição da Drogaria Aberta, na Comuna nessa quarta-feira, as 20 horas, para fazermos juntos um banquete vivo! Confirme sua participação no evento: https://www.facebook.com/events/2443144129234949/


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos