Desodorante natural: Vale a pena testar?

Desodorante natural: Vale a pena testar?

Seu uso é diário e poucos se aventuram a não utilizar o antitranspirante num país tropical como o Brasil. Mas, recentemente, esse recurso tem sido, talvez precipitadamente, associado ao aparecimento do câncer de mama  e outras diversas doenças para nosso corpo.

Você sabe quais são os ingredientes presentes nos desodorantes convencionais?

O triclosan é um agente antifúngico e antibacteriano que pode ser encontrado em sabão, creme e desodorante, principalmente os antitranspirantes, por exemplo. Ele é um produto com cloro, ou seja, muito eficiente em matar bactéria, mas também muito nocivo para o funcionamento do fígado do homem e da mulher.

Além desse ingrediente muito se fala sobre a hipótese de que o efeito do alumínio, também presente nas formulações, possa estar relacionado com o câncer  de mama. O alumínio não é um componente fisiológico da mama, mas foi medido há pouco no tecido mamário humano com níveis superiores aos encontrados no sangue.

Alguns estudos demonstraram a absorção do alumínio em aplicação tópica através dos sais de alumínio (cloridrato de alumínio, cloreto de alumínio ou complexos de alumínio-zircônio) contido nos antitranspirantes, os quais, comprovadamente, apresentam efeitos tóxicos ao organismo humano em determinadas quantidades e cumulativamente.

Apesar disso, as pesquisas ainda não são conclusivas. Mas a abordagem sobre a absorção de sais de alumínio deve continuar sendo investigada e na mira dos pesquisadores da área.

Também precisamos considerar os aspectos ambientais:

Estima-se que pelo menos 25 milhões de toneladas de resíduos são despejadas por ano nos oceanos. E a maior parte disso - 80% - tem origem nas cidades, em razão de uma má gestão dos resíduos sólidos.

A praticidade e a facilidade de uso têm aumentado o consumo de produtos em embalagens aerossol no Brasil. Segundo estimativas da Associação Brasileira de Aerossóis e Saneantes Domissanitários (ABAS), o consumo de produtos em recipientes desse tipo atingirá sete unidades por habitante por ano no país até 2020, acima da média de 5,3 registrada em 2015. Com o consumo exagerado do aerossol as embalagens também acabam se transformando em um problema sério para o meio ambiente, tendo alto nível de inflamabilidade e toxicidade, especialmente pelas substâncias que as compõem e ficam retidas nos recipientes.

Praia de  Copacabana/RJ com resíduos na areia vindos do mar

Ao fazer seu próprio desodorante você diminui o lixo, pois pode sempre repor seu conteúdo no frasco. Comprar também de pequenos produtores da sua região faz com que o transporte e diversos lixos indiretos sejam reduzidos, além de muitas empresas novas receberem as embalagens de volta para reutilizá-las.

Agora o mais legal: alternativas baratas e saudáveis para o desodorante

Você sabia que o suor não tem cheiro? A flora, fungos  e bactérias presentes nas axilas em contato com este suor que dão o odor, muitas vezes indesejado.  

 

A cada dia surgem novas pesquisas e o crescimento de opções vindas da natureza para substituir os produtos sintéticos.

Além de termos nosso desodorante natural na lojinha, aproveitamos o post para listar alguns ingredientes acessíveis e baratos para você fazer em casa ou mesmo saber escolher na hora de comprar:

Óleos essenciais:
Os óleos essenciais de alecrim, sálvia, capim-limão e tea tree (melaleuca) tem um poder antibacteriana reconhecido. Eles substituem o triclosan, e nutrem sua pele. Uma receita bem  básica  é adicionar  5 a 10 gotas de óleo essencial   para 150 ml de  leite de magnésia ou no óleo de coco.

Bicarbonato de sódio:
Auxilia na redução do odor. Pode passar o bicarbonato de sódio direitamente nas axilas ou diluí-lo na água ou leite de magnésio antes da aplicação e acrescentar o óleo essencial. Disponível nos supermercados comuns. Custo super baixo.

Pedra  alúmem:

um antitranspirante 100% natural que pode durar até um ano! É preciso molhar a pedra antes e passar nas axilas durante 4 a 5 segundos. Vende em farmácias.

Um detalhe é que passar  direto na axila pode causar uma cerca irritação para algumas pessoas. Nossa  fórmula consiste nessa pedra diluída na água mineral, que evita e previne o desconforto. Com isso nós  usamos um borrifador spray. 

Agora a pergunta que não quer calar: vale a pena usar?

Esperamos que não sobrem dúvidas se vale experimentar essa alternativa natural. Uma observação que sempre digo às pessoas que estão se aventurando pela primeira vez é que tenham paciência, só na primeira semana, principalmente se já fizeram uso contínuo do aerossol.

A pele precisa de um período para se adaptar, mas quando você entrar nessa escolha, verá como a sua pele e meio ambiente vão te agradecer.


    Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente

    Deixe um comentário

    Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos