Óleos essenciais na gestação

Óleos essenciais na gestação

Os óleos essenciais podem ser inalados através de difusores, ingeridos (dependendo da planta) ou absorvidos pela pele, normalmente quando misturados com óleos vegetais ou em banhos aromáticos. 

Há uma discussão sobre o uso de óleos essenciais durante a gestação, envolvendo associações de aromaterapia em todo o mundo. A principal questão se dá sobre a utilização de alguns óleos no primeiro trimestre, período em que há maior risco de aborto espontâneo.

Os riscos discutidos são se essas substâncias conseguem atravessar a placenta, pois é nela que o sangue da mãe e do bebê se encontram (já que ela tem função filtrar esse contato), e assim o feto correr risco de intoxicação. 

Até hoje não há estudos comprovando esse risco, pois não há registros de mães que sofreram aborto ou bebês que nasceram com alguma deficiência devido ao uso de óleos essenciais. Porém é ideal evitar óleos estimulantes, como:

  • Sálvia
  • Canela
  • Manjericão (maior toxicidade)

O que podemos focar então, é na efetividade de cada óleo durante a gestação, trazendo benefícios para mãe e, consequentemente, para o bebê.

No início da gestação, os enjôos são mais presentes, por isso óleos essenciais de plantas cítricas e outras ervas podem ajudar na digestão e diminuição dos gases, além de revigorar o ânimo, como:

  • Limão-siciliano
  • Laranja-doce
  • Grapefruit
  • Coentro
  • Hortelã pimenta
  • Erva-doce

As alterações hormonais podem trazer momentos de estresse e influenciar no sono das gestantes, então, para relaxar, podemos utilizar alguns óleos essenciais em difusores antes de dormir, por exemplo:

  • Lavanda
  • Camomila
  • Manjerona

Ao longo do crescimento do feto, a barriga começa a mudar o centro de gravidade da gestante, que normalmente sente dores nas costas, principalmente na lombar. Alguns óleos são ótimos para massagens relaxantes:

  • Cedro (também auxiliando na prevenção de celulites e estrias)
  • Lavanda
  • Néroli (Flor de Laranjeira)
  • Manjerona

E para os momentos de gripe, ou problemas respiratórios, bastante normais na gravidez também, os óleos essenciais de:

  • Eucalipto
  • Hortelã-pimenta.

É importante o uso dos óleos com consciência, como já falamos em nosso post "Óleo essencial vs Óleo vegetal: Qual a diferença?", e também porque o uso em excesso pode trazer reações fortes na mãe e no bebê.

Também é indicado que faça um teste em uma área pequena da pele para entender a reação do seu organismo com o óleo essencial.


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos